Decidi(r)daMente

Archive for the ‘citações’ Category

New York, I love You

with 3 comments

Domingo à noite. Cinema. Pipocas pro Peter. A Sininho estava sossegada. Eu reclamava porque me esquecera dos preciosos óculos. Tudo corria bem.
Eis que dá esta cena. E ela diz: “Esta é a Maria (eu, portanto) daqui a alguns anos… sempre a mandar vir… ”
Nem comento. 😛

Written by c.lima

2009/12/03 at 1:02

Publicado em cinema, citações

Tagged with ,

hoje à noite é verão

with one comment


(500) Days of Summer

Tom: What happens when you fall in love?
Summer: You believe in that?
Tom: It’s love, it’s not Santa Claus.

Written by c.lima

2009/11/15 at 22:04

Publicado em cinema, citações, notas soltas

Tagged with

quote of the day

leave a comment »

124033916587915

via i can read

is this true?

Written by c.lima

2009/05/16 at 15:52

Publicado em citações, notas soltas

também acho que sim

with 3 comments

“O esquecimento é um mecanismo fundamental da minha relação com o mundo.”

Pacheco Pereira, no Festival do Clube de Criativos

 

 

Written by c.lima

2008/05/09 at 14:08

frase do dia

with 2 comments

 

“Tens uma brancura muito à século XVIII.”

 

 

Written by c.lima

2008/04/18 at 16:25

Publicado em citações, notas soltas

frase(s) do dia

with 2 comments

 

 (retirado daqui)

 

” (…) estás muito requisitada tu.”
” (…) estás a atrair.”
” (…) ui, ui, ui (…)”

Ao que eu respondo:
Não há fartura que não dê em miséria.

[Isto a respeito do pequeno mundo da publicidade, onde é quase tão difícil entrar, como arranjar uma vaga na Nasa]

Written by c.lima

2008/03/19 at 16:29

Publicado em citações, notas soltas, publicidade

Tagged with ,

intransponível, é isso

leave a comment »

Não te procurei porque procurar-te me daria a exacta dimensão da tua ausência, poderia vaguear minutos horas, procurar-te quem sabe chamar por ti dizer o teu nome, saberia eu que de pouco me adiantava, seria isto pergunta ou a exacta afirmação de que não te encontras.
Mal tu sabes não tiveste tempo de saber, o que pode ser uma hesitação tão estúpida entre caminhar entre os nossos destroços ou deixar-me ficar
Sentado
Encostado à banca da cozinha
Absorto a acender mil vezes o isqueiro
Reduziste-me afinal a estes passos desencadeados, todas as minhas dúvidas do momento estão aqui, sento-me, levanto-me (…)
(…) falta-me o pormenor que te define mesmo, um detalhe para que sejas absolutamente
exacta, clara
a inveja que tenho de quem sabe traduzir.

 

Rodrigo Guedes de Carvalho, in A Casa Quieta
(edição Dom Quixote)

[a ler novamente. não há como resistir-lhe]

Written by c.lima

2008/03/18 at 1:53

Publicado em citações, livros, notas soltas